5 de mai de 2010

Ilha da Morte

post atrasadíssimo, semana de muito trabalho. Mas agradeço especialmente a eficiência do sistema e a boa vontade dos funcionários da Caixa Econômica Federal que me fizeram perder toda a sexta-feira para desbloquear um cartão. VTC, banquinho de merda.

Não está sendo fácil a despedia. Por mais que a estória tenha se desviado e tenham abusado de maniqueísmo e simbolismo religioso, por mais que imaginasse uma carnificina no fim e que nem tudo está sendo como poderia ser e que a bobagem do zelador da Ilha ainda me irrite, a verdade é que aqueles personagens se tornaram parte de nosso imaginário e é difícil a despedida. Principalmente da forma trágica como começou ser.
Jin e Sun, o casal mais emblemático em termos de amor real, foram embora na morte mais pranteada por mim desde Juliet. Aposto que é só o começo. E me pergunto qual será o limite de tanta desgraça na Ilha da Morte eminente.
Neste momento é fácil culpar a criatura eletromagnética que está somente tentando cumprir seu objetivo de sair da Ilha custe o que custar. Mas não consigo desviar minha ira do verdadeiro manipulador da estória. O responsável por levar cada um deles para lá sem oportunidade de escolha, transformando a vida de todos para sempre porque diferente do que ele prega: não, não há escolha. Falo do manipulador de sorriso sonso e carisma zero: Jacob, claro. Ele é o responsável por todas as mortes e desgraças das pessoas que passam por lá. (talvez o ator contribua para a má vontade que tenho com o personagem. Acho-o totalmente deslocado, pouco a vontade e sem nenhum tipo de charme)
E acho de verdade que os losties vão morrer. Deve sobrar um otário para zelar pelo pedaço de terra mais infeliz da estória do entretenimento pop. E deve ser Jack, que herdou a maluquice de Locke mesmo.
Apesar de vários motivos para continuar descrente com o fim, o emocional foi mais forte.
Não foi a tentatica de tomada dos meios de transporte ainda disponíveis estilo Esquadrão Classe A com toda aquela ação e tensão que caracteriza os finais de temporada, nem a realidade paralela, foi a despedida de três dos personagens principais que convivemos durante todo este tempo e o sofrimento de quem sobreviveu que fez o episódio ser memorável. Porque claro que mesmo sabendo que tudo é ficção a gente não quer desapegar.

Además

A realidade paralela tem alguns lances que me lembram os livros espíritas. Parece reencarnação carregada de carma. Que o diga o Antony Cooper.Agora me pergunto: seria o papai de Locke, agora velho babão pagando os pecados da vida na realidade da Ilha, o mesmo responsável pelas mortes dos pais de James?

A caixa de música de Clair tocando aquela melodia de filme de terror me lembrou o souvenir de Rosseau. Alguém lembra se ela toca a mesma música?


Alguém algum dia vai esquecer da cena de Jin e Sun morrendo juntinhos? Lembrou Titanic, mas aqui pelo menos morreram juntos, não foi como a a egoísta gordinha da Rose, que ficou folgadinha lá na tábua assistindo o Leozinho de Caprio virar picolé...Por que ela não revezou?

E o desespero de Hurley chorando sentido, Kare e Jack...também foi contagiante, não...

PS - analisando o episódio com mais frieza, confesso que a linha maniqueísta assumida de vez não me agrada. Acho sempre pobre em termos de narrativa - e de vida também...As coisas não são todas assim pretas ou brancas, bem ou mal. E vai contra a própria estória, que ia no sentido oposto a esta linha ao envolver personagens com passados repletos de "erros" se analisarmos pelo ângulo do preto e branco. Além disto, esta definição, preto mal, branco bom pra mim é racista pra caramba. Prontofalei. Lição de moral: to fora!
Mas não adianta mais espernear. Já tá tudo gravado, então vou tentar ir pela emoção, porque na lógica eu me decepcionaria.

PS2- Será que a emotividade despertada no episódio, acho que propositalmente, não está desviando o foco objetivo dos fãs?

2 comentários:

tdseries.com.br disse...

Olá, Ka!

Esta episódio foi triste demais... Tanto a morte de Jun e Sin - por mais que eu não simpatizasse com ele - quanto a cena final com Jack e Hurley chorando e Sawyer e Kate feridos foram mesmo pesadas demais. Sinal do fim se aproximando.

Um abraço!

Adelson (TD Séries)

Equipe ToonSeries disse...

Embora tenha sido uma morte ao estilo Charlie, ainda foi bonito ver Jin não deixando sua amada morrer sozinha.
Foi um episódio bem tenso, clima de final mesmo, mal posso esperar pelo desfecho e também pelo que o grupo formado por Alpert, Ben e Miles irá fazer, já que eles estão bem sumidos na história.

Ademais, não sei se foi só eu ou mais alguém acha que ainda não foi o fim de Lapidus, e se foi acho que será bem besta, não mostrou pra que veio mesmo.

Beijos

Ricardo Braga
Equipe ToonSeries

Mais e mais

Related Posts with Thumbnails