31 de ago de 2009

Lost in Concert

Que coisa linda!
A trilha sonora maravilhosa de Lost interpretada por uma orquestra.

28 de ago de 2009

Des Darwin: Henry Ian Cusick vive o famoso cientista

Esta é especial para os fãs de Desmond. O querido ator intérprete do mais ainda querido personagem, que é praticamente unanimidade em Lost (vc conhece alguém que não gosta do Des??) vive nas telinhas o cientista Charles Darwin, criador da teoria da evolução e da seleção natural. A obra estreia no canal National Geographic em outubro e documenta a vida de Darwin.
Esperemos que chegue ao Brasil. É realmente muito interessante!

Papai Holloway

Coisa mais fofa, Josh e sua cria. Dá até vontade de ser mãe...

26 de ago de 2009

Desmond em muito boa forma

Henry Ian Cusick está em ótima forma! E não é trocadilho de conversa de meninas.
O ator partcipou no último fim de semana do triatlon beneficente "Tag The World Triathlon", em Waikiki. A prova incluiu corrida, bicicleta e natação. Ai, cansei!

Falando em Des, ele é o próximo a ser dissecado pela parceria Defenda a ilha Pensando Imagem e Som. A próxima leva de perfis inclui o brotha e sua amada Penelope, Jin e Sun.

25 de ago de 2009

Dharma Day II

Um dia só para fãs!
A segunda edição do Dharma Day já está agendada. O encontro dos aficionados pela série de São Paulo acontece em 19 de setembro de 2009, sábado, entre 15:00 e 19:00. Como no ano anterior, o evento será na Livraria Cultura, no Shopping Market Place, que fica na
Av. Dr. Chucri Zaidan, 902 - SP.
Imperdível, hein.. Eu vou!
Mais informações pelo site www.dharmaday.com

24 de ago de 2009

Mais gente chegando para a sexta temporada

Um nome bem interessante foi confirmado na sexta temporada de Lost. É o ator japonês Hiroyuki Sanada conhecido por contracenar com Tom Cruise no filme O Último Samurai.

20 de ago de 2009

Primeiro novo personagem

Atenção!
O Defenda não costuma soltar spoilers. Por isto, não darei mais detalhes dos novos personagens, me atenho apenas ao ator.


A primeira nova cara é o ator John Hawkes.
Você pode conhecê-lo de trabalhos como o seriado Deadwood ou os filmes American Gangster e "Miami Vice.

18 de ago de 2009

Fotos de sets de filmagens

Aberta a última temporada pré Lost!
Com a aproximação do início das filmagens da sexta temporada, marcado para 24 de agosto, começam pipocar informações.
A primeira imagem concreta é a série de fotos do que devem ser sets de filmagens.
Veja mais aqui!

17 de ago de 2009

Matthew Fox sabe o fim..ah se sabe

Esta entrevista do Matthew não é novidade, mas eu só tinha lido sobre ela. Ouvir da boca do próprio deixa a coisa ainda mais fatídica, hein!
Ele fala que o final de Lost será algo grandioso e épico.
Mais: Fox revela que teve uma conversa com os produtores sobre o fim e que sabe o que eles pretendem, ao menos tem uma idéia. Mas não tem a mínima noção de como chegarão lá...

14 de ago de 2009

Perfil Lost: Sayid Jarrah

por Paulo Roberto Montanaro

Ao contrário dos seus mais diferentes companheiros, Sayid parece ter tido sucesso no relacionamento com seu pai. Era motivo de orgulho para o patriarca da sua família, sendo sempre o fator de comparação para o seu irmão. Cresceu no Oriente Médio e serviu à Guarda Republicana do Iraque, seu país natal, por cinco anos, período onde ganhou respeito e conhecimentos militares, mas também onde aprendeu a fazer coisas terríveis por um bem maior. Se tornou torturador, ainda que sua índole o forçasse o contrário. Mas aprendeu a controlar seus sentimentos e emoções, a ser frio e calculista diante o inimigo, tornando-se assim um homem de confiança do seu país. Essa posição só fora abalada quando uma mulher – Nadia, uma amiga de infância e grande amor de sua vida - mexeu com seu coração a ponto dele mesmo questionar suas ideologias. A ajudou a fugir da prisão depois de torturá-la e atirou em seu superior, traindo sua confiança ao simular um ataque inimigo.

Os fantasmas de seu passado o aterrorizavam aonde quer que ele estivesse, fosse no Iraque, na França, em Sidney ou na Ilha. Foi exatamente trabalhando infiltrado pela CIA e traindo a confiança de um antigo amigo que acarretou em sua passagem de avião de Sidney para Los Angeles, vôo que todos nós já conhecemos como 815 da Oceanic Air Lines. Uma vez na ilha, Sayid é visto pelos colegas como um bom aliado em território hostil, tanto pela sua experiência como soldado, como pelos seus conhecimentos técnicos e tecnológicos, principalmente na área de comunicação. São dele alguns aparatos construídos ou adaptados para tentativas de se buscar ajuda depois da queda e, se estes não funcionaram como deveriam, foi menos por competência do iraquiano do que por outros fatores.

Contudo, mais uma vez seus traumas do passado voltaram a atormentá-lo. Suas habilidades em tortura foram necessárias mais de uma vez, mesmo ele tendo jurado para si mesmo que nunca mais faria aquilo. A Ilha muda paradigmas e juramentos eternos. As condições que ela impõe aos seus habitantes, novos ou antigos, são capazes de responder dúvidas, ou questionar certezas. E Sayid, o iraquiano, ficou conhecido como “o torturador”. Talvez não quisesse ter essa qualidade ligada a ele, mas certamente ela nunca o abandonou. Mesmo que não gostasse, era bom naquilo. Curioso é que, quando usou suas habilidades na Ilha, não alcançou os resultados, seja com Sawyer, seja com Benjamin Linus. Suas competências eram muitas, todavia se mostraram sistematicamente inúteis durante um bom tempo.

De qualquer forma, sempre esteve ligado ao grupo de elite dos sobreviventes. Estava disposto sempre a participar de expedições de resgate ou nas tentativas de fuga da Ilha. Se envolveu com Shannon, mulher a quem viu morrer quando parecia que ela poderia ser um alento para o seu sofrimento e sua culpa. Em suas andanças, encontrou Danielle Russeau, francesa que vivia na Ilha havia muito tempo, considerando a gravação que ela deixara transmitindo por desesseis anos, gravação esta inteceptada e interpretada pelo próprio iraquiano ao lado de Shannon. Sayid liderou uma tentativa de resgate aos passageiros que foram feitos prisioneiros por Ben, ao lado de Jin e Sun, dentre outras, como se buscasse redenção pelos erros do passado. Também foi protagonista do plano que deveria eliminar os Outros que estariam no acampampamento dos sobreviventes quando estes partiram para a torre de transmissão à espera de um barco de resgate (que mais tarde se revelaria o cargueiro de Widmore e que não tinha intenção de resgatá-los). Com seu plano, Sayid conseguiu eliminar alguns de seus adversários, mas a falha de Bernard ocasionou a prisão dele e seus colegas. Foi salvo da morte por Hurley e sua kombi Dharma.

Quando o cargueiro chegou à praia, esteve ao lado de Jack na decisão de deixar a Ilha, e foi o primeiro, ao lado de Desmond, a subir no helicóptero pilotado por Lapidus. Uma vez no cargueiro, confrontou Keami e, de certa forma, soube que alguma coisa não estava certa. Conseguiu consertar o rádio da embarcação e possibilitou uma conversa emocionante entre Desmond e Penny, fato que também salvou a vida do “Brotha”. Acabou, por circunstâncias, sendo um dos resgatados da Ilha, os Oceanic 6, e desta forma conseguiu deixar o lugar. Lá fora, encontrou seu grande amor, Nadia, e se casou com ela o quanto antes. Viveu feliz ao seu lado até que ela foi vítima de um atropelamento. Depois da morte de sua amada, Sayid se vê na obrigação de vingá-la e se une ao seu grande inimigo na Ilha, Ben, para caçar os aliados de Charles Widmore, suposto homem por trás do assassinato. Ao final do trabalho, se muda para a República Dominicana, buscando um pouco de paz para sua vida atormentada, mas novamente ele se sacrifica por um amigo, Hurley, a quem resgata do Instituto Santa Rosa. Quis o destino que ele retornasse à Ilha, algemado e obrigado por Ilana, para em 1977 atirasse no jovem Ben e ajudasse a torná-lo o homem frio e violento que conhecera. Como seu último (?) ato, ajudou Jack a armar o incidente que conseguiria mudar o futuro para que a queda do avião e tudo o que eles tinham vivido após ela fosse alterado. Talvez tenha conseguido, talvez não.

O fato é que Sayid é um homem atormentado pelo seu passado, pelas suas escolhas e pelo que se tornou nas circunstâncias de sua vida. Amargurado, carrega consigo a culpa não pelo que fez, como Kate, mas pelo que inexoravelmente ele sabe ser: um torturador. Assassino, soldado ou traidor, Sayid, que mostrava equilíbrio e força interna, teve como única fraqueza amar. E o amor é um luxo que um homem como ele jamais pode ter sem arcar com as consequências.

Palavra da Karen

Sayid Jarrah é o mais perigoso lostie. Assassino nato que ainda criança é capaz de quebrar o pescoço de uma ave sem pestanejar. Mais tarde atiraria em uma criança.
De todos naquele lugar, com certeza é a pessoa de quem eu teria mais medo porque não há tabus morais para ele. E embora sinta remorso, o iraquiano repete os comportamentos não importa o que aconteça. Seguidor da filosofia maquiavélica, os fins justificam os meios e por isto ele será sempre o torturador. Se a redenção é a palavra chave da estadia de todos naquele misterioso lugar, Sayid é quem está mais longe.

Olha o Sayid versão toon no Toon Series!
Lembra do primeiro flashback do iraquiano? Veja o review no Teorias Lost.

12 de ago de 2009

ABC House - com losties

Nova chamada da ABC com interação entre os personagens das séries.
Nesta, Ben recebe o povo. E tem ainda James. Ah!!!!!!

Bata um papo com Jorge Garcia

O simpático ator participará de chat no site da AXN Venezuela.
É hoje, por volta de 23 horas no horário daqui.
Onde? Aqui

11 de ago de 2009

Perfil Lost: Benjamin Linus

por Karen Aguiar Belintani

Benjamin Linus é sensacional por causa de Michael Emerson ou Michael Emerson é sensacional por causa de Benjamin Linus? É difícil responder esta pergunta, mas arrisco dizer que o ator é imprescindível para o carisma do personagem e que sem ele, Ben jamais seria o Linus que amamos.
Ben é prato cheio para estudos psicológicos, sociológicos e tudo o mais possível. Criado sem mãe, vítima de abuso infantil por pai bêbado em meio um bando de hippies loucos, rejeitado, deslocado, QI alto.
Não bastasse todo o sofrimento que foi vítima na infância, foi traído por quem pensou ser sua salvação. O tiro à queima roupa de Sayid impossibilitou que o adulto Ben fosse qualquer coisa menos que um psicopata. Porque a rejeição – um dos sentimentos mais devastadores e causadores de patologias emocionais - foi mesmo a tônica da vida do futuro líder dos Outros, ele ainda amargaria a indiferença de Juliet, por quem nutria uma paixão tão doentia a ponto de mandar o amante da amada para a morte certa.
E o pior: Jacob. O próprio manda chuva da Ilha. O grande líder e nome a ser seguido e temido, rejeitou Ben ao relevá-lo à mera vitrine do comando. Pelo que fica bastante claro no episódio final da 5ª temporada, Ben realmente só recebia por Richard as ordens de Jacob, muitas delas sem sentido aparentemente, outras bastante antipáticas como as listas e os sequestros. Nunca, porém, foi recebido por ele. Rejeição dói. Deixa cicatrizes. E tanta rejeição assim transformou Benjamin Linus em alguém perigoso.
Ben sem dúvida é alguém a ser temido. Capaz de muitas coisas. Mas não o bastante mal para matar um bebê e sua mãe, como Alex e Rosseau. Assim, o que para o público era a grande crueldade dele, era na verdade um ato de coragem que salvou mãe e filha da morte certa. O desafio ao líder da Ilha na ocasião, Widmore, pode ter contribuído para a ascensão do jovem ao comando. Mas também diferente do que pensamos, a expulsão do pai de Pen da Ilha foi mais gerada por seus próprios atos do que por uma conspiração de Linus. E mais uma vez, ele foi mal interpretado e levou a culpa por algo que não fez.
Ben se tornou mestre na manipulação, é verdade. E talvez por isto, eu seja mais uma manipulada que não o enxerga como o monstro que parecia ser no início. É que ele sempre surpreende. Fiquei vários episódios esperando ver a morte de Pen por suas mãos. Tinha certeza plena disto. Mas na hora H, Ben se mostrou até frágil no seu propósito maior e engoliu a vingança. Não conseguiu matar uma mãe na frente do filho.
Porque talvez Ben seja muito mais humano do que pensamos. Muito mais vulnerável do que imaginamos, muito mais fraco do que ele próprio se julgue. E talvez ele tenha percebido isto ao perder Alex. Ele foi o responsável pela morte da filha. Mas fica uma dúvida: se a Ilha queria a garota morta desde bebê, poderia ter sido salva? E se a Ilha quer tantas coisas, onde entra o livre arbítrio que Jacob tanto fala...mas ai já é outra questão, e esta análise não é sobre ele. Mais pra frente falemos sobre isto...
Se não foi capaz de dar cabo em Pen, porém, a vida de Locke não valeu nada e nem por um minuto ele pestanejou ou se arrependeu por uma das cenas mais fortes e marcantes de Lost. Enforcar Locke foi o ápice de sua vilania. E apesar da pena que temos do personagem de Terry, fica difícil hoje imaginar Lost sem aquele grande momento e suas consequência para a estória.
O que temos sobre Ben, porém, é o exemplo do que uma vida repleta de rejeição é capaz.O garoto aprendeu a dissimular, a manipular, a jogar. Mas no fundo, que não fique dúvida, Ben sempre foi profundamente infeliz. E o que seria dele se a mãe não tivesse morrido ou se o pai não o maltratasse e culpasse, ou mesmo se Sayid não tivesse atirado e o levado a ser salvo pelos Outros. Mais: se Sayid não tivesse destruído o último laço de confiança que ele tinha com outro ser humano. O que seria de Linus? Só é possível conjecturar. Mas óbvio: não teríamos o vilão genial e carismático, o personagem tão bem construído e tão fascinante que temos. E que faria imensa falta se não fosse absolvido pelo monstro de fumaça.
O que será dele daqui por diante também não é fácil apostar. Espero que Ben se reerga, encontre forças para, quem sabe, ser um novo homem, ou aperfeiçoar sua vilania. Assim como Sawyer teve sua redenção ao matar o fantasma de seu passado, Ben pode renascer das cinzas após matar Jacob. Tomara.
E ao falar de Ben não dá para deixar de mais uma vez se desmanchar em elogios ao maravilhoso Michael Emerson. Ator de primeira grandeza. Ele é um mestre responsável pela grande impacto que todos os atos de Linus causa no público. Dizem que Ben só teria alguns capítulos na segunda temporada, mas a atuação do ator fez os produtores criarem uma estória para Ben. Não sei se é verdade. Mas se for, que bom. Lost ganhou muito.
E sejamos justos: Terry O´Quinn é o par perfeito para a maestria de Emerson. Dupla genial que nos brinda com atuações brilhantes a cada aparição conjunta. Que venha mais..

Palavra do Paulo
"Não existe uma frase mais clichê do que “Ben é o vilão que amamos odiar, ou que odiamos amar”. Felizmente podemos, neste caso, nos dar ao luxo de partir do senso comum. Com suas intrigas e artimanhas, mentiras e atos extremos, Benjamin Linus é exatamente o contrário do que o maniqueísmo prega. Tormentos do passado podem ser um grande estopim, e as conjecturas de seus atos o transformaram em algo pavoroso, mas a solidão é a fraqueza que está lá para provar para todos nós, inclusive para o próprio, que ele nada mais é do que um homem.

Confiram aqui a versão toon do querido Ben Linus

10 de ago de 2009

Nome de episódio de estréia?

Não sei..mas parece que já temos o nome do primeiro episódio da sexta temporada.
Seria L A X, que poderia significar a sigla do aeroporto de Los Angeles.

Sei não, pode ser apenas boato, já que as gravações ainda nem começaram. Pode ser também mais uma pista falsa, pois está ficando muito óbvio que o plano de Jack deu certo. E em Lost nada nunca foi óbvio. Portanto..desconfiem.

Novos brinquedinhos de Lost

Gracinha este miminho do querido Ben (em breve perfil dele).
Quer? Aqui tem


Já esta nova série de bonecos (abaixo) teremos que esperar um poquinho. No site, está prevista a abertura de vendas para fevereiro do ano que vem.
As fotos são ainda protótipos. Parece ainda que termos bonecos shippers, pois o enunciado do site diz Lost Series 1 Jack & Kate, Sawyer & Juliet Action Figure Set. Felicidade para as Jates e as Suliets.

6 de ago de 2009

We have to go back....

O grito de Jack lá no fim da terceira temporada parece estar se tornando o eco da derradeira.

Atenção, boatos em geral a seguir.

Pelo que se tem comentado, na sexta temporada teremos uma série de apariçoes dos mortos de Lost. Charlie, Shannon, Bone são alguns do nomes já citados por aí. Nada confirmado, mas deve ter um fundo de verdade.
Acredito que teremos participações especiais, nada que mude a trama. Será legal, mas...espero que não tome tempo do que realmente interessa.

O que quero saber de vocês é qual ou quais personagens não fizeram falta para o desenvolvimento da estória. Por exemplo - e isto vai me custar ovadas e tomates, eu sei - chorei com a morte de Charlie. Porém, bastou cinco minutos do episódio seguinte para nem lembrar que ele existia. Mais - revendo os episódios antigos, percebi que ele só tomava tempo, era na verdade bem chato (é só a minha opinião, ok).
E aí, quem teve a morte mais superestimada da série e na verdade não fez falta nehuma?
Por favor, respondam a enquete ao lado.

5 de ago de 2009

Losties vampiros

É bobeira, eu sei. Mas não deixa de ser curioso.
Este site publica versões vampiras de celebridades mundiais. Como fenômeno pop atual, Lost ganhou versão dos seus personagens vide os sugadores de sangue.
Nem tem muito o que falar, só conferir.

4 de ago de 2009

Matthew Fox em série sobrenatural

Não, Matthew não mudou de ideia e continuará na TV.
Falo de uma série pré-Lost estrelada pelo ator em 2002 e pouquíssimo conhecida. Em Haunted, Matthew vivia um ex-policial, investigador particular que após ter uma experiência de quase-morte adquiri acesso ao mundo espiritual. A série teve apenas 11 episódios. Uma pena, pois pelo piloto que vi no youtube, era muito boa. Coisas da Tv....Deve ser por estas e outras que o ator não quer mais fazer TV. Tanta porcaria dura várias temporadas, enquanto bons produtos não têm muita chance. Para cada Lost que dá certo, temos vários XXXXXXXX (não cito nomes para não gerar polêmicas..) no ar ainda. Cansa, né.
A dica veio da Lilianara..super fã do Matthew. Obrigada!

Mais e mais

Related Posts with Thumbnails