30 de abr de 2010

"Revelado" o mistério da Ilha

Este vídeo deve ser antigo, mas não tinha visto ainda...
É engraçadinho.

22 de abr de 2010

O último recruta..quem mesmo?

Perdoem-me a estupidez, mas ainda tento decifrar quem foi mesmo o último recruta. Foi Jack? É isto? Alguém me explica?
Não é pouco caso não. Mas realmente, não entendi bem a referência.

Cartas embaralhadas. Ao menos estão todas elas na mesa. Foi isto que significou para mim este episódio tenso.
Quando as atenções se voltam totalmente ao grupo que conhecemos, o episódio se torna assim Lost puro. E agora o foco está definitivamente neles. Tanto na Ilha, como na realidade parelala, os destinos se cruzam e as interações direcionam a série para o fim.
Foi bom e dinâmico, mas algumas coisas continuam me irritando. Jack surtado de Locke, falando de destino e Ilha soa tecla batida, mas entendo que faz parte do grande conflito final. O que me desagrada mesmo é o motivo (ou falta de) de ter que ficar alguém lá de zelador. Durante os últimos anos confabulei mil teorias que considero mais interessantes do que a que vem sendo desenhada: impedir o MIB de sair de lá. Pode ser que este objetivo se revele mais interessante. Mas até o momento, está me incomodando.

Mas enfim a guerra de Widmore começa com ele quebrando o pacto que tinha com James. O que era de se esperar. E o que virá a partir disto parece ser vital para um fim emocionante e ainda mais tenso em termos de ação propriamente dita.
Imagino um fim repleto de sacrifícios por parte dos personagens que estão lá desde o começo de tudo.Imagino até uma carnificina que resultará com um ou dois sobreviventes no fim da série.
Ainda não consigo entender como as realidades se chocarão e é este mistério que faz toda a diferença agora porque dependendo dele, o fim da série pode ser memorável (ou não). Se dependesse apenas da realidade da Ilha e da seleção de RH para zelador, o motivo teria que ser muito, mas muito excepcional para valer tudo o que eles (e nós) passaram nestes seis anos...

ADEMÁS....

Jin e Sun finalmente juntos. Lamento que o acontecimento tenha se perdido perante a tensão do episódio. Acho que eles mereciam ter se reencontrado no episódio centrado neles, pois gosto muito do casal!

Sei lá, mas aquele filho do Jack é mesmo a cara da Juliet para mim. Quero ela de volta logo, caramba!

Jack operar Locke é uma correção de rota mais do que esperada. Será que ele não vai matá-lo sem querer...

Desmond na paralela - não entendo porque da obsessão com todo mundo do voo se ele já reencontrou a Pen. Não deveria estar em lua de mel com ela em vez de ficar atropelando cadeirante e seguindo mulher grávida? É isto mesmo, tão zoando todos os personagens legais?

Ah, Claire, tadinha. Morro de dó da guria que ficou três anos perdida na mata fugindo dos Outros e agora ainda é deixada para trás como as crianças fazem com coleguinhas diferentes que não querem brincar. Como alguém manteria a sanidade? Claro que ela enloqueceu, p@@ra!

Mas eu gostei do episódio sim. Só to estressada.

20 de abr de 2010

Mega spoiler: Locke saiu da Ilha

15 de abr de 2010

Everbody Loves Hugo

Sem grandes expectativas, Everbody Loves Hugo parece ter realmente agradado a todos. E a mim também.
Apesar de não ter engolido a explicação tosca para os sussurros, senti a empolgação por Lost crescendo novamente (mas aos poucos. Ainda estou traumatizada com a "rolha do inferno").

Hurley, que estava tendo um papel bobo de porta voz de Jacob finalmente decidiu pensar por si e tentar entender as coisas por novos ângulos. Isto ajudou a dar nova dinâmica ao grupo formado por ele, Jack e cia, grupo que estava apagado, parecendo mais um núcleo de coadjuvantes onde nada de interessante ocorria.
Mas Hurley assumiu a responsabilidade de tomar decisões. Ao mesmo tempo em que Jack se mostra fragilmente abatido pelas consequências da explosão da bomba - aliás, a morte de Juliet foi realmente trágica para a série. Sinto que perdemos alguém fundamental para interpretar a visão irracional de Richard sobre as coisas. Juliet sabia muitos segredos e como pessoa contemporânea e médica pesquisadora poderia ter ajudado muito a dar sentido naquilo tudo. Falo sobre os expectadores mesmo. A audiência que quer lógica, como eu.

Na realidade paralela tivemos a meiga volta de Libby. Foi graciosa a retomada do relacionamento dos dois. Mas só.
Contudo, as interações entre os losties aumentam e tudo vai se tornando mais interessante, como o surto assassino de Desmond. E falando nisto, alguém entendeu? interpretei que ele quis colocar Locke em situação de quase morte para relembrar algo. Mas pode ser qualquer coisa...

De volta à Ilha, lá foi Desmond para o poço. Duvido que tenha morrido. Mas tenho certeza de que o monstro é magnético e portanto Des era o único capaz de "reagir" com ele. Se não fosse assim, por que o Locke Vader teria tido aquele trabalho? Teria apenas se transformado na fumaça e acabado com ele, não...

É. Faltam seis. Enjoy.

Además....

Adorei a mala da Ilana explodir. Já foi tarde. Quem ta merecendo uma bombinha no bolso para acalmar a histeria é o Richard. Ah, Ricardo, você já foi legal.

Michael ressurge dos mortos. Queria vê-lo na realidade paralela levando o Vincent para passear no Central Park. Agora a explicaçãozinha almas penadas vagando pela Ilha foi boba, boba. Medo! Do rumo da série, não das almas penadas, certo...

Locke atropelado por Desmond. Foi impossível não lembrar do Pequeno Wilber!! # O cara já teve um rim roubado, foi jogado pela janela, foi enforcado...e ainda vivo...Que mais falta acontecer com o careca?!
- # Pequeno Wilber era um personagem dos geniais Sobrinhos do Ataíde, programa de humor da rádio 89 de SP. A rádio era só de rock e faleceu depois que trocaram o gênero de música. O Wilber era um garotinho que vivia se estrepando, arrancavam a cabeça, o estômago, as pernas e o garotinho continuava vivo...Tanto a rádio, como o programa marcaram época na década de 90! (quem quiser relembrar ou conhecer, aqui tem um pouco deles)

9 de abr de 2010

Magnetismo explicando Lost

As páginas abaixo são parte de matéria da revista Galileu, edição de março de 2008. É bem interessante por propor explicações viáveis do ponto de vista da ciência.
Ainda que o tema não esteja nem longe totalmente decifrado, permite interpretações interessantes que, quem sabe, futuramente, possam ser consolidadas. Chamo atenção especial para o box com aplicação direta da teoria à situações da trama.

8 de abr de 2010

Agora sim - S06E11

Agora sim. Acho que está claro que seguir o rumo da ciência agrada gregos e troianos. Não é preciso abandonar o foco dos personagens, mas seria um grande erro deixar o tão citado na série magnetismo de fora da explicação final.
Além de Desmond, um grande personagem que merecia o melhor episódio da temporada, tivemos como co-protagonista ele, o eletromagnetismo.
Fenômeno capaz de atrair ou repelir outros materiais eletricamente carregados, o magnetismo está relacionado ao movimento dos elétrons nos átomos, pois uma carga em movimento gera um campo magnético - isto a grosso modo. E é daí que reside o efeito miraculoso da Ilha. Daí se origina a cura de doenças, as viagens no tempo e, tomara, o perigo do FlockeVaderMib.

Posteriormente postarei aqui reportagem de revista especializada linkando o magnetismo com diversas situações vivenciadas da Ilha.

Mas enfim, é nele que reside a resposa de Lost. Ao menos aquelas que interessam a mim.

Desmond - Tivemos também a reafirmação de que Desmond é especial. Não apenas por ser charmoso, simpático e boa gente. Mas porque realmente a implosão da escotilha com a liberação da carga magnética lá na segunda temporada o tornou de alguma forma diferente, um tipo de super heroi de Lost. Alguém capaz de sobreviver a uma grande carga de fontes eletromagnéticas. Talvez ele pudesse encarar o Locke, então? Talvez seja um antídoto para a consequência da saída da criatura da Ilha? Só é certo que ele será um dos mais sacrificados, não!E não terá final feliz.
E nas duas realidades.
Pois é ele também o elo consciente entre as duas realidades. E de novo temos o magnetismo de volta. Foi por meio do exame de ressonância magnética (método de diagnóstico por imagem que retrata imagens de alta definição dos órgãos do corpo por meio de "campo magnético") que Des teve os flashes da vida que viveu com Penny. E deve ser esta qualificação sua ruína.
Não queria entrar em questões filosóficas novamente, isto neste momento da minha vida me cansa, mas achei a dualidade amor X sucesso um pouco exagerada. Não era preciso ressaltar que alguém precisa ser infeliz de um lado para ser feliz do outro. Novamente me parece algo moralista: ah, você tem dinheiro, sucesso mas não é feliz, é incompleto. Pára com isto. Não é este o caminho. Posso ter tudo sim. E tem que prefira apostar em apenas um dos lados e ser feliz. Questão pessoal. Vamos ser menos moralistas, Darton!
Mas tudo bem. Não vou desmerecer o episódio por isto. Foi muito bom sim. E só de deixar de lado um pouco a estorinha da guerrinha de Jacob e Locke Vader e candidatos e fantasminhas, fico feliz.
Já baixo as expectativas para o próximo que é centrado em Hurley, E como o personagem se tornou telemarketing babaovo de Jacob nesta temporada, aposto na retomada da mística. Mas terei paciência. Como o Leco disse, a paciência será recompensada no final. Cada vez mais volto a acreditar nisto.

Ah - fui só eu ou alguém mais torceu para o Charlie morrer de novo?
Ah 2 - Widmore é muito bom personagem. Que bom que finalmente está tendo destaque que merece!
Ah 3 - Engraçado...a Penny agora me pareceu deslocada. Acho que acostumei com ela em Flash Forward. É dos riscos deste cruzamento de séries com mesmos atores.
Ah 4 - Faraday, tadinho. O James já traçou sua amada. Junte-se a Jack e chore, hahahaha.

5 de abr de 2010

Boa, Sun!

Esta tirada do impagável Porra, Lost! traduz exatamente o que sinto em relação a esta estória de candidatos.

Até que enfim um deles falou o que eu pensava: será possível que Hurley (que ta me irritando por ter virado telemarketing do Jacob, Jack (até ele!?!) e os outros não surtem!

Caramba, ninguém de lá se candidatou a nada, o que custa o cara explicar alguma coisa? por que ninguém manda ele à merda por ter se intrometido na vida e levado para a ilha do terror? Por que ele não foi procurar voluntários em algum culto babaca?
Quem é que quer herdar aquilo?

E se o Jack agora resolveu encarnar o messias e engolir as bobagens de Jacob sem maiores explicações, ele que fique por lá. Eu não to nem aí para este lado da estória. Prontofaleidenovo!

1 de abr de 2010

Lógica e Luz no fim do túnel

Antes do esperado, volto a me inspirar para reativar o blog.

The Package (s06e10) trouxe algumas pinceladas de possível lógica para o rumo da explicação que muitos acham já ter encontrado.
Foi na voz de Widmore que ouvi um alentador: "Sei quem você é por mitos e estórias de fantasmas na floresta", disse ele ao Locke Vader/Mib/FLocke,o que indica que tudo o que foi passado aos Outros é mito criado por Jacob para ampliar ou explicar o perigo da saída da Ilha do interessante personagem. Aliás, a cena promove um aperitico de um embate que realmente vale a pena: FLocke x Widmore - dois grandes personagens.
Minha leitura, que pode também ser errônea ou apenas uma tentativa do meu subcosciente de ter esperança de um pouco de lógica na sexta temporada de Lost, é que o personagem possa significar um perigo FÍSICO ao universo. O que ele se trasformou ao se tornar o monstro de fumaça deve então ter consequências, repito, FÍSICAS, muito provavelmente ligadas aos tais bolsões de magnetismo que para meu alívio finalmente voltam a ser citados na estória pela geofísica Zoe, que na falta de Faraday, terá que dar conta do recado de satisfazer o público que anseia por explicações lógicas para aquela babel.
E Jin, que esteve na Dharma, é peça chave para a exploração. Faz sentido finalmente. Porque Widmore é um homem de negócios sensato e prático que não voltaria para a Ilha senão tivesse grandes fontes reais interessantes a serem exploradas. Ou alguém acha que ele voltou lá para salvar o mundo da maldade? Bá!
Outro toque dele reverte a estória c%c&t@ de "rolha do inferno". Ele diz a Jin que a consequência da saída de Mib de lá seria algo como a dissolução de tudo, a inexistência, o que poderia ser uma reversão ao nada, um big bang ao avesso, sei lá...Sobre isto, chamo a tenção para a teoria de antimatéria do Leco, que é muito boa e seria muito bem aceita por quem está buscando uma explicação física para a série.
Por fim, temos a volta de Desmond, que além de ser um personagem adorável e interessantíssimo, sempre esteve ligado a tópicos interessantes da série: escotilha Cisne, viagem no tempo e por aí vai.
Então, há motivos para aguardar um pouco mais antes de bater o martelo em respostas. Podem demorar, não me importo, desde que tenham sentido.

Jin e Sun - a realidade paralela deles foi uma das mais agitadas. E como sempre teve a abordagem de romance muito bem feita. Os dois representam superação de barreiras, perdão. Sempre simbolizaram o casal que vive dificuldades no casamento, que tem momentos difíceis, onde não existem mocinhas e vilões absolutos na relação - o que todos que vivem um relacionamento longo sabem ser verdade. E que superam sem idealismo do amor perfeito, mas com realismo da vontade de ficar juntos. Belo, mas não melodramático.

Que a sanidade se mantenha para o episódio de Desmond. Ele merece!

Mais e mais

Related Posts with Thumbnails