19 de mar de 2010

Recon - s06e08

A questão livre arbítrio x destino desperta inúmeras discussões. Particularmente nos dois últimos dois episódios de Lost tivemos pistas de que o argumento defendido por Jacob: a possibilidade de escolha de fazer da vida o que quiser, funciona somente quando os personagens estão livres da influência do moço misteriosonso. Como Ben, James se tornou alguém melhor por ter feito escolhas diferentes. Ou seria por ter circunstâncias diferentes. Não teria algo na realidade da Ilha empurrado o garoto para o lado mais dark, assim como sabemos que aconteceu com Ben ao ser rejeitado pelo pai, baleado e levado ao templo dos Outros? Acho que nunca saberemos ao certo, mas aposto nisto.

Sawyer/James é um dos personagens mais complexos da série. Tem um passado absurdamente trágico, marcado por desgraça digna de Nelson Rodrigues. Acho que o único apto a concorrer com James neste quesito é Jonh Locke. E exatamento o que o tornou tão popular na audiência de Lost é que, em vez de assumir o papel de vítima digna de dó, ele buscou vingança. Que fazer limonadas que nada..., ele pegou os limões que a vida lhe deu e atirou de volta.
O James da realidade paralela se tornou um bom moço, foi para a polícia, onde é parceiro de Miles (ótima dupla, aliás) em vez de dar golpes. Mas não deixou de lado a busca por vingança.
E digam sinceramente: se colocando realmente na pele do personagem, quem é que levaria uma tragédia daquelas como lição de vida, com resignação e seguiria em frente sem marcas? É absolutamente humano querer vingança. Sem muita terapia, mas muita mesmo, ninguém supera testemunhar e vivenciar o que ele passou.
Por estas e outras abordagens tão humanas dos roteiristas de Lost é que não consigo ver a série terminando com lição de moral do bem vence o mal. Não dá para engolir esta visão que muitos estão tendo da série. Mas veremos...

Sawyer da ilha está mesmo fadado a viver de golpes. Ele é um sobrevivente e como não temos na verdade ideia ainda de quem é quem, é inteligente deixar duas portas abertas. Aliás, teve uma frase especialmente intrigante de Widmore que entra para o rol do metadiálogo que os roteiristas usam para se comunicar conosco: É triste o quão pouco você sabe - disse ele a Sawyer. Realmente tenho a sensação que ainda sabemos muito pouco. E não estou reclamando por isto.
E estaria Widmore ao lado de Jacob? Acredito que não, ele quer a Ilha e ponto. A quem terá que aliar para conseguir não importa.

O episódio trouxe pistas de que Locke Vader é alguém extremamente meticuloso - assim como Jacob. E usa da violência para manter a autoridade - também assim como Jacob, que mandava matar, sequestrar, lembram?. Assim mesmo, continuo com simpatia por ele. O que é certo é que trata-se de alguém com grande capacidade de liderança e iniciativa. Sem dúvida, seria um ótimo executivo, não?
O que também ficou evidente é o grau de perturbação de Claire, que foi vítima do jogo entre Jacob e seu oponente. Tentando matar Kate, submissa as ordens de Locke Vader ou se desculpando aos prantos, a pobre não deve ter mais como retomar a sanidade.
Sem acontecimentos de maior impacto, tivemos uma sutil revelação: Dr. Chang está fora da Ilha. Provavelmente saiu de lá com a família, acredito. E espero que Radzinky esteja submerso com o resto da Dharma.
E enquanto aguardamos a etapa decisova, que acredito começa a partir do próximo episódio, foi bom curtir um pouco de nostalgia da primeira temporada com um clima de tensão contida.

Observação absolutamente feminina e de pouco relevância para os fãs da série, mas que não posso deixar de ressaltar: Josh estava impecavelmente lindo o episódio inteiro, especialmente nas cenas da realidade paralela.
E ele melhorou muuuito como ator.
Só falta arrumar uma esposa mais apresentável - ops, escapou veneno.

5 comentários:

Dan Artimos disse...

só podia um post grande para seu personagem/ator rsrsrs ;) até teve veneninho no final rsrsrs

o episódio foi bom, mas morninho, esperava que ficasse mais frenético, mas não posso negar que adorei a realidade de James

qto a Claire, Locke deixou a pista de que nunca melhorará ao compará-la com sua misteriosa mãe (fumação tem mãe? :S)

Equipe ToonSeries disse...

Sawyer como policial me pegou de surpresa, porque me lembrei do episódio que ele deixa a Kate passar na frente ao sair do elevador, e agora faz sentido, pois ao ouvir o código passado para os seguranças, ele entendeu o significado e perguntou ao segurança que o respondeu desagradavelmente e então deixou a fugitiva ir. Lost sempre surpreendendo.

Falando nisso, na realidade sem ilha, parece que só a Kate não mudou nada, todos os outros estão mais em paz em suas vidas.

O episódio não foi o melhor, mas também não foi ruim, aliás é difícil achar um episódio ruim em Lost, existem apenas aqueles medianos hahahah (fã detected hahaha)

Quanto ao veneno também concordo hahahahha. O Josh e o Matthew tem um gostinho meio particular para suas companheiras. hahahha

Beijos

Ricardo Braga
Equipe ToonSeries

tdseries.com.br disse...

Olá, Ka!

Mesmo tendo que aguentar o Josh Holloway desfilando pelo episódio todo, gostei da história! risos

A história de Sawyer me surpreendeu. Quando o vimos no avião, nos primeiros episódios, parecia que ele era apenas o golpista de sempre. Interessante vê-lo numa posição tão diferente!

O "monstro" (nunca saberemos o nome dele?) está ficando cada vez mais interessante. Até sobre a mãe ele falou! Espero ansioso agora pelo confronto dele contra Widmore. Quem vencerá?

Um abraço!

Adelson (TD Séries)

Im_Dangerous disse...

Onde esta essa referencia ao dr chang estar fora da ilha?

KA disse...

Quando Miles fala que seu pai trabalha em um museu.

Mais e mais

Related Posts with Thumbnails