11 de mar de 2010

Dr. Linus - s06e07

"Parece que foi ontem que vi este avião se partir em dois no céu". Ben Linus resume o espírito do que vemos desde o episódio anterior, mantido neste emotivo e excelente Dr. Linus. A metalingagem sempre foi usada pelos autores para se comunicar com o público através dos personagens. E os recados vão sendo passado para bons entendedores perceberem alguns toques sobre a série e agora, parece, para se despedirem...

Benjamin sempre foi uma alma atormentada por indiferença e rejeição (como falei aqui no perfil traçado antes do início desta temporada. Não gosto de me gabar, mas depois de ontem, fica claro que passei bem perto). E Ben poderia ser alguém capaz de gestos nobres. Sem influência de Jacob, poderia não ser um psicopata, ou ao menos, não ter atitudes de tal, como o assassinato de Locke.
Poderia ter sido um professor idealista que se preocupa com a qualdiade do ensino e cuida muito bem do pai doente. Doutor em história, um acadêmico! Ambicioso sim, com propensão a manipular e usar chantagem, mas com freio moral. Na realidade paralela, se redime junto a Alex (Rosseau!!).
E detalhe: quem semeia a busca pelo poder em seu coração, no caso o cargo do diretor, é Jonh Locke, num processo inverso do que ocorria na Ilha.
Esta realidade, aliás, parece boa demais para ser verdade. Não que tudo seja perfeito. Mas é tão mais suave, ameno. Fico com a sensação que este universo vai implodir em algum momento, por ser tão mais lírico e brando com a vida dos personagens.

Descobrimos aqui que a Dharma existiu e seja lá o que aconteceu com a Ilha, foi entre a década de 70 e os anos 80, quando Rosseuau foi parar lá. Ben e o pai saíram de lá por vontade própria. Isto me deu um grande nó na cabeça: afinal, será que não foi bomba que a afundou? Ou foi? O que vimos serve para reforçar qual tese? Nenhuma, né...Mas eu tenho paciência. Ah, se tenho.
Outra confimação foi que Richard Alpert era mais um joguete nas mãos do sonso Jacob. E se sentiu usado por ter sido manipulado e no fundo, bem lá no fundo, também não ter ideia de que diabos estava acontecendo o tempo todo.
Jack cada vez mais...não sei...Não consegui mesmo entender o que foi aquele momento com Alpert e dinamites: fé cega total ou desafio? o certo é que ele está desconfortável de saber que não tem mais controle. E quem é que não ficaria ao se ver apenas uma marionete.
Estou chegando a conclusão de que todos ali são meras peças de um macro jogo de gamão entre Jacob e o Lock Vader. Para quem coloca Jacob como símbolo da luta entre entre o bem e o mal, apoiado na Bíblia, fiz umas pesquisas porque sou ignorante neste tema. E a descrição do personagem bíblico não é das melhores: "A parteira o viu nascer puxando o pé de Esaú, que havia nascido primeiro. Enquanto Esaú era pesado e peludo, Jacó era esguio e liso, como um sabão. Um dia, o irmão desejou comer seu prato de lentilhas. Jacó o deixou, mas exigiu em troca o direito de primogenitura. Na hora decisiva da bênção do mais velho, com a ajuda da mãe, cobriu-se com uma pele de cabra e se fez abençoar como primogênito pelo velho pai Isaac, já cego".

No mais, o episódio junta parte dos losties no acampamento em um momento nostálgico que me deixou de olhos marejados por sentir o fim cada vez mais próximo. E traz uma peça importante para a estória: Widmore. De que lado ele está? Acredito que do que vencer...

Mais uma vez: Michael Emerson é fantástico.

4 comentários:

Dan Artimos disse...

nada a adicionar... episódio sensacional :')

J.J. disse...

Então ... Q episodio sensacional, nao?

Tendo dito tbm e falo sempre, o Emmy e o Globo d Ouro tem q ser de Michael Emerson, foram otimas suas atuações nesse episodio.

t+

tdseries.com.br disse...

Oi, Ka!

Este episódio foi pura emoção! O que dizer de ver que a maior ambição de Ben é um cargo de diretor? E que ele ainda desiste dele em prol daquela que poderia ser sua filha... Ou então do perdão de Ilana àquele que matou quem ela considerava um pai. Fantástico!

O que me deu (mais) um nó imenso na cabeça foi descobrir que a ilha e a Dharma também existem na "outra realidade". Isso foi novo para mim.

E, termino concordando com você: Michael Emerson é mesmo fantástico!

Um abraço!

Adelson (TD Séries)

Equipe ToonSeries disse...

O episódio foi espetacular novamente,

se Michael Emerson não levar todos os prêmios a que for indicado depois do episódio desta semana não sei mais oque o fará.

Estou gostando cada vez mais dessa realidade alternativa sem a ilha, onde vemos nossos personagens favoritos de forma mais branda, destaque para a aparição de Alex também (na minha opinião ela estava mais linda do que na ilha. haha).

Jack também cada vez mais o "homem de fé" que fora Locke. Agora só espero o reencontro de Jin e Sun e a aparição de um lostie que se bem me lembro não deu as caras nessa temporada: nosso querido Vincent.

Vale lembrar tb do casal Paulo e Nikki que pelo menos em nome reapareceram nessa temporada final.

Agora fugindo um pouco do episódio, venho mais uma vez me indgnar com a atitude de certos "Fãs" da série que até hoje reclamam dos episódios, costumo ver os episódios ao vivo pelos "justin tv da vida" e ao lado acontece um chat entre as pessoas que estão assistindo e a reclamação de que aquele episódio estava fraco, parado e que tal ator tinha que morrer ou (oque mais se via lá) que o Jack é o pior de Lost era constante durante os intervalos, cheguei quase ao ponto de mandar todos praquele lugar quando alguém fez isso antes de mim, falando oque eu pensava naquele momento: se não estão gostando, parem de ver. O que gerou uma revolta entre os "fãzinhos reclamões". Sinceramente a série não precisa de vcs!!!

Bjs

Ricardo Braga
Equipe ToonSeries

Mais e mais

Related Posts with Thumbnails