1 de mai de 2009

Depressão pós parto

The Variable - S05E14


Eloise Hawkings conseguiu em sua curta trajetória em Lost superar de longe todos os genitores errantes apresentados a nós. Mulher fria e calculista, maquiavélica e obsessiva transformou a vida do filho em um inferno exatamente para arremessá-lo à morte por suas próprias mãos.

O tom shakeasperiano do episódio 100 da série (exibido exatamente no dia em que Barack Obama completava 100 dias de governo) foi hipnótico. Mas mesmo com a quantidade imensa de informações que fomos providos, o aspecto trágico do assassinato de um filho pela própria mãe propositadamente - já que ela mesma se encarregou de focar sua vida toda para aquele destino - foi a questão mais fortemente catalizadora das minhas reflexões.
Adoro os elementos Sci Fi da trama, adoro a narrativa propositalmente desconexa que nos enlouquece - que neste The Variable ganhou dimensões até inimagináveis para os fãs - mas admiro profundamente as questões psicológicas abordadas de forma tão profunda. E neste ângulo, tivemos mais dos momentos históricos da série.

O que ficou claro para mim - apesar de a experiência com Lost já ter provado que sempre posso estar enganada - é que definitvamente Widmore é mais perigoso do que Ben. E os losties, incluindo aí Desmond - são apenas joguetes da guerra pelo domínio da Ilha.
O que não está totalmente claro é a morte de Faraday. Após o episódio, revi o vídeo apresentado na Comic Con deste ano. A gravação parece ter participação de Faraday. E a menos que o recurso já utilizado de confundir vozes tenha sido aqui aplicado, parece claro que o físico está vivo ali. E o "ali" ocorre após o encontro fatídico com os hostis. Confuso, absurdo e obscuro? Neste momento, é difícil raciocinar claramente. Só resta aguardar o fim da temporada.
Em posts anteriores deixei clara minha posição de que acreditava ser interessante que a possibilidade de mudanças nos acontecimentos causarem alteração no futuro. Mas minha imaginação nunca foi tão longe como dos nossos gênios roteiristas. Considerava variáveis mais sutis. Jamais acreditei ser possível o total impedimento do acidente do 815. Não sei se gosto desta possibilidade. E sinceramente não acho que isto ocorra. Mas a inclusão desta questão, confesso, abre um imenso buraco negro na minha mente. Isto é Lost. E é justamente isto que amamos.

Mais uma vez nos encontramos em um beco aparentemente sem saída. Mais uma vez separados, os losties rumam para um desconhecido destino. E não temos a mínima idéia de como as pontas se amarrarão, embora acho que já aprendemos a ter certeza de que se juntarão de alguma forma.
- Desculpem se este post está confuso. Simplesmente está difícil organizar os pensamentos.

Foi ótimo:

- A interpretação de Jeremy Davies, o Faraday, foi excelente. Não me surpreende, já que sempre o considerei um grande ator. Pena se realmente ele tiver seu ciclo em Lost encerrado.
- A retomada de cenas perdidas de Faraday. Acredito que quando ele testou sua pesquisa em si mesmo, viajou mentalmente para o futuro. Por isto, tenha aquela sensação triste ao receber notícias do 815, que estava diretamente ligado à sua morte.
- Kate e Jack de um lado. James e Juliet de outro. É por aí...

Foi péssimo:

- Acho que sou a única incomodada com isto, mas a atuação do intérprete de Radzinski me soa totalmente deslocada. Um exagero de caretas fora do tom que mais remetem a um psicopata de filme trash para adolescentes....

Aqui o vídeo que cito acima. Aparentemente Miles também está presente na gravação, já que Chang pede que o filho ainda pequeno fique longe da sala. Escute a segunda voz. Não é o Faraday?

8 comentários:

Petter disse...

K, esse episódio foi realmente muito bom. Amarram as pontas sobre o Faraday que ficaram soltas lá no começo da quarta temporada e ainda explicou um monte de coisa pra quem aparentemente não estava conseguindo compreender esse lance de viagens no tempo.

Episódio muito bom mesmo, alguém ainda duvida que esses dois últimos episódios serão de matar?!

Beijão

J.J. disse...

Eu sempre odiei Ben, mas a Eloise .... nossa essa mulher eh um Ben feminino. Coitado do Daniel, sofreu dmais. Por isso eh tao louco.

Ele nao merecia morrer.. tinha q salvar a todos !

E agora qm podere nos defender ? Jack ? ¬¬

THIAGO PAULO disse...

Olá...Também amei o episódio, foi fantástico ver cenas da 4 temporada, cenas do primeiro episódio da quinta... E isso, só nos dá a certeza de que ainda podemos rever cenas da primeira temporada no final da série. Os roteiristas arrasaram neste episódio!

Há, também acredito que o Daniel não morreu, se vc ver cenas do episódio final, tem alguém sendo operado. O que me preocupa é a morte que vai acontecer no 15 episódio... Pelo que li vamos ficar com muita raiva, masi só vamos entender o porque deste personagem morrer no começo da setx temporada... Que medo!!!!

Bjs..

Adelson Smania disse...

Oi, Ka!

Como sempre, ótimo comentário, bastante profundo e apropriado à trama de Lost.

A Sra. Hawking teve mesmo uma participação marcada por suas maldades, estivesse ela dentro ou fora da ilha. Uma pena seu filho ter sido sua vítima em tantos momentos!

Faraday sempre foi o personagem que tudo sabia enquanto todos os outros à sua volta estavam perdidos. O que acho mais interessante é que ele sempre soube tudo através da ciência, e não da sua fé ou revelações, como Locke.

Se ele estiver realmente morto, será uma grande perda. Mas, a morte em Lost é um conceito bastante relativo.

Um abraço!

Kaká disse...

esse episódio foi bom exatamente porque deixou muitas possibilidades no ar. :)

O Radzinski é meio forçado sim, mas ele é um paranóico de carteirinha e faz sentido aquele exagero todo. Medo do que ele vai fazer com o coitadinho do Sawyer.

Não acho que seja a voz do Faraday, ele fala sussurrando e tem que pegar ar a cada duas palavras, essa segunda voz era mais firme.

Gabriel Henrique disse...

Adorei o episódio...Várias pontas foram amarradas, e isso q foi o melhor do episódio...
Tb adorei a atuação do Jeremy, e CONCERTEZA, adorei Jate de um lado, e Juiet e Saweyer do outro (nem sei o nome shipper deles! xD)...
Agora, sinto q Jack voltará a ser o herói no final dessa temporada...E isso pode ser bom ou ruim...Veremos, né! ;)

Bjo...Atée +

Lilica disse...

Kah

Realmente esse episodio foi confuso e tudo que saiu dele tambem pq abriu um leque de possibilidades...

* O vôo pousar em LA e cd um ir pro seu lado.

* O vôo pousar em LA e os que viajaram no tempo manter suas memorias.

* Nada dar certo e tentar impedir tudo sempre fez parte do que deveria acontecer.

De qq forma tudo me fascina. E uma coisa que pensei lendo tudo que foi escrito sobre a Eloise e vendo seu sofrimento no episodio, pq por mais que ela tenha sido cruel ao extremo, eu consegui enxergar sofrimento nela, acho que ela sempre quis mudar tudo, e pra mim a insistencia dela em ter o Jack por lah era pra isso, para que ele salvasse Daniel.

E tomara que ele esteja vivo, pq adoro o Faraday, ele parece aqueles bichinhos de estimação, muito fofo.

Beijo

Francine.VS. disse...

Quanto tempo, não é mesmo?
Não acredito que to perdendo td isso... Sinto saudades daqui! to sem tempo de nada... e super atrasada com LOST, cre???
Espero que tenha paciencia comigo! Sempre voltarei!!!
Beijos e boa semana!
Francine x Francine

Mais e mais

Related Posts with Thumbnails