20 de fev de 2009

De volta

316 - S05E06


Close nos olhos. Nada melhor e mais típico para começar um episódio do que a tradicional marca de Lost.
E quando esse close remete ao episódio piloto, já lendário e emblemático, em um momento crucial que deve marcar a fase final de Lost, a sensação é um dejà vu nostálgico que dá a exata noção que estamos na reta final. Pois a parte de fora da Ilha - que não constava na concepção original da série - está definitivamente para trás. Chegamos ao epílogo.

Talvez muito do que ficou para trás - e que acredito veremos ainda -tenha consequências drásticas no decorrer da história. Mesmo com um episódio sensacional - mais um - com a volta para a Ilha, a esperada e bela transformação psicológica de Jack, o revival de um contexto todo especial para os fãs com um novo embarque do grupo repleto de referências e a incrível didática explicação sobre a localização da Ilha, quem mais uma vez conseguiu capitular minha atenção foi o fantástico Benjamin Linus e sua suposta ainda vingança. Tenho absoluta certeza de que ele matou Pen. Tenho mesmo. E a ocultação desse crime para nós por enquanto deixa um rastro de tragédia shakeasperiana no ar.
A cena de Ben completamente ensanguentado na cabine telefõnica me remeteu imediantamente ao pré desfecho do filme Seven - quando o psicopata interpretado por Kevin Space se entrega coberto de sangue após ter cortado a cabeça da mulher do detetive (Brad Pit). Porque Ben é um psicopata. E em sua mente não há nenhum tipo de freio moral. O que ele ratifica ao responder para Jack sobe o destino dos demais passageiros do vôo 316: Quem se importa...

A narrativa foi acertada: mostrar a chegada à Ilha logo de cara, foi decisivamente mais impactante do que recorrer à ordem cronológica. Além disso, a história que acompanhamos não está acontecendo cronologicamente. Ao menos foi isso que entendi da explicação de Eloise Hawking..a Ilha vive em constante movimentação no espaço tempo - mesmo antes dos flashes.
Personagem interessante essa senhora, aliás. Tanto que me pareceu uma versão feminina e mais experiente de Benjamin Linus.
E o que se esperava a série toda finalmente aconteceu: Jack se teve um episódio realmente agradável de ser assistido. O salto de fé do dr demorou, mas foi profundo e importante. Por ser um homem cético, da ciência, a escolha dele foi ainda mais valiosa, exigiu uma quantidade mairo de fé, de entrega. E agora, nessa reviravolta de seu personagem, eu sinto pela primeira vez empatia - e certa pena por ele se deixar ter sido usado tantas vezes por Kate, como foi ontem.
A grande questão da reunião dos six - ou five - foi relativa a ela. Sayif estava no vôo contra sua vontade. Mas ela não. O que aconteceu com Aaron para que ela mudasse de idéia repentinamente assim deve ser mais um capítulo intrigante e impactante da história.
Hurley continua sendo o alívio cômico fundamental. O cara boa praça que não quer levar ninguém em sua jornada.
Mas acho que ao menos dois daqueles passageiros serão vistos na Ilha. Illana ( a agente federal) e Caesar, o ator com cara de iraquiano que por acaso se chama Said Taghmaoui (de Três Reis, Ponto de Vista e Mar de Fogo).
E aconteceu. O pedido we have to go back foi atendido. Mais cedo do que eu esperava no comço da temporada. Uma antecipação muito benvinda.
E há quem diga que os roteiristas nos enrolam....

Muito bom
- A sequência inicial quebrou...arrebentou...Com direito a trecho rápido da trilha sonora do episódio piloto quando Jack está resgantando Hurley, uma referência à clássica ação do médico após a queda do 815.
- Michael Emerson - sempre ele - narrando a história de São Tomé. E o desfecho: Cedo ou tarde, todos acabam se convencendo.
- O surgimento do avô de Jack. Acho que ninguém tem dúvida que ele deve ter algo a ver com toda essa história, não...A família Shepard está toda atolada naquela Ilha, acho eu.
- Incluir Lapidus numa viagem só de ida também foi bacana. É um bom personagem.

Curiosidades/Referências
(Com ajuda da Lostpedia)
  • 316 - Número do vôo. Também o número de dias que resta no ano exatamente na data da exibição nos EUA. Remete ainda a citação bíblica João:316, que diz Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna. Tema principal do episódio: fé e o pedido de John para Jack em sua carta de suicídio.
  • A foto da Ilha que aparece na estação Lamp Post é datada the 23/setembro de 1954 - ano em que o exército fazia testes na área. A foto ainda cita o exercito americano. E a soma dos dígitos da data é igual a 23.
  • Mais uma vez temos referência àsCrônicas de Nárnia. The Lamp Post é um marco de passagem entre o mundo real e Nárnia em alguns livros da série.

4 comentários:

rafa; disse...

"Sayif estava no vôo contra sua vontade" Arrumo o nome do cara ai.
Esse episódio de Lost foi simplesmente impressionante. Como eu vivia dizendo: "Antes não viamos a hora de eles sairem da ilha, agora não vemos a hora de eles voltarem" e elas voltaram! Eu vi a promo do próximo episódio e está muito boa. Só aparece o Locke. Estou muito ancioso pelo próximo episódio. O triste é ter que esperar até quarta-feira que vem.

Petter disse...

K, outro episódio maravilhoso de Lost né?!
Não consigo parar de rasgar elogios para essa temporada. Ponto forte do episódio foi ver como foi a volta dos Oceanic 6 a ilha. Total clima de nostalgia, muito maneiro, amei!

Beijão!

netiteve disse...

Grande episódio, Ka.

Duas grandes decisões dos roteiristas.

A volta sem maiores delongas. O atrativo que foi sair da ilha já passou e fazem bem em acabar logo com isso. A verdadeira história sempre esteve lá na ilha.

E gostei de ser através de algo que envolve tanto a fé quanto a ciência. É tudo calculado, com rota exata, mas é preciso crer que aquilo aconteça. Ou mais exatamente: querer.

A outra é de não ser um simples retorno, ao estado em que eles estavam antes. Todos voltam alterados, e alguns com segredos.

Isso torna a estadia lá fora mais válida e não apenas um "enrolação" aprazível.

Gabriel Henrique disse...

Episódio divino...
Eu adorei toda a narrativa, toda a história, e a maneira como a trama foi levada...Lost é isso...Qualidade!
Um dos meus personagens preferidos (ou "O") é o Ben...E nesse episódio, mais uma vez tivemos grande destaque para o seu interprete, Michael Emerson...Esse cara merece um Emmy já faz um bom tempo...E o "Quem se importa", eu lembrarei para sempre...xD
No mais, gostei bastante, e o próximo então, estou angustiado aki...
A propósito, adoro todos os seus textos sobre os episódios...E esse então, foi belíssimo...Parabénss...
Abraços, e bom carnaval...

Mais e mais

Related Posts with Thumbnails